Mais um motivo para os concursos do Poder executivo Federal serem autorizados e realizados este ano!

O número de servidores federais civis que pediram aposentadoria entre janeiro e novembro de 2017 aumentou quase 50% (46,7%) para 21.371 na comparação com o mesmo período em 2016, quando 14.563 solicitaram o benefício, de acordo com dados do Ministério do Planejamento. Faltando um mês para fechar os dados do ano passado, o número de aposentadorias requeridas é o maior desde 1998, quando 24.483 foram solicitadas. Em todo o ano de 2016, os pedidos chegaram a 15.499.

Para analistas, o aumento expressivo nos pedidos em 2017 pode ser um efeito das discussões sobre a reforma da Previdência, mas eles ressaltam que a idade média do servidor público federal é alta, em torno de 45 anos, e que a tendência é que os pedidos aumentem. Servidores na ativa com idade acima de 41 anos são 56,5% do total. Os que estão acima de 51 anos somam 36%.

 

O Poder Executivo tem 1,272 milhão de servidores civis, dos quais 635 mil estão na ativa, número um pouco menor que o dos aposentados (397 mil) e pensionistas (240 mil) somados. Na administração direta (Presidência da República, ministérios, secretarias e órgãos subordinados, como Receita Federal), a proporção de servidores na ativa é de apenas 38,6% do total, segundo dados do Ministério do Planejamento de dezembro de 2016.

 

No Executivo total (incluindo autarquias e fundações), o percentual sobe a 53,7%. No Legislativo e no Judiciário, a relação é mais favorável, com 68,6% e 80,6% dos servidores na ativa, respectivamente. Contando militares, os Poderes Legislativo, Judiciário e o Ministério Público da União abrangem 2,2 milhões de servidores, dos quais 1,2 milhão na ativa.

O quantitativo demonstra que o Governo Federal será obrigado a fazer concursos públicos e chamar aprovados de seleções válidas em 2018, para evitar o colapso de muitos órgãos, que já sofriam de grave déficit  de pessoal antes das aposentarias

INSS e MS são os com mais servidores a beira da aposentadoria

O órgão com mais aposentadorias em 2017 foi o Ministério da Saúde. Segundo o Painel Estatístico de Pessoal do Planejamento, a pasta teve mais de 2.400 saídas no ano passado. Em seguida, aparece o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), com 1.800 aposentadorias. O Ministério da Saúde e o INSS têm concursos programados.

Prováveis Concursos

Para a pasta, está prevista a abertura de 3 mil vagas temporárias. Já no instituto há pedido de um novo edital e de chamadas de excedentes da seleção de 2015. São 16.540 vagas pedidas.Há diversos outros órgãos que sofreram com aposentadorias em 2017, o que provavelmente voltará a acontecer esse ano.

Entre eles, está o Ministério da Fazenda, com mais de 1.000 saídas no ano passado. O quantitativo mostra que o concurso para assistente-técnico administrativo da pasta é um dos que precisam ser autorizados. A necessidade contempla ainda a Receita Federal e CVM, vinculados à Fazenda.

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, que pedem novos concursos públicos, também sofreram com as aposentadorias.Na PF foram 500 saídas e na PRF 320. A PF já informou que o governo tem interesse em realizar o seu concurso. A princípio são 600 vagas para delegado, perito, escrivão e agente. Na PRF foram pedidas 1.300 vagas de policial.

 O que diz o Planejamento

Segundo o Ministério do Planejamento, cerca de 210 mil servidores poderão se aposentar nos próximos dez anos. A reposição, no entanto, não é automática nem imediata. “Dependerá das condições fiscais, da evolução da tecnologia, da análise de real necessidade da força de trabalho, entre outros fatores”, diz a pasta.

Fonte: Folha Dirigida e GranCursos