Banca responsável pelo concurso ainda não respondeu ao MP sobre as suspeitas de fraude

Seguimos atualizando vocês sobre as novidades à respeito da investigação de suspeita de fraude no Concurso da Polícia Civil/BA. Pelo que parece, a investigação irá demorar mais do que o esperado. Isso porque a Vunesp não cumpriu o prazo determinado pelo Ministério Público para responder as solicitações enviadas por ofícios. O prazo se encerrou na última segunda- feira, dia 14.

Os documentos em questão solicitavam as cópias das provas objetivas e discursivas de todos os cargos, bem como os termos de inviolabilidade dos sigilos da prova e os termos de encerramento de prova de todos os locais.

O responsável pela comunicação do MP/BA explicou que o órgão aguardará até o fim dessa semana, ou seja, até amanhã,18, pela resposta da Vunesp. Essa é a postura prevista pelo Código de Moral Administrativo adotado pela instituição.

No entanto, foi esclarecido também que, caso a banca não se manifeste no tempo previsto, o MP-BA, por meio da promotora responsável pelo caso, Heliete Viana, “tomara outras providências”.

O inquérito de investigação do concurso foi instaurado no dia 26 de abril e a investigação se baseou no espelho de mensagens que teriam sido trocadas durante a realização da prova através do aplicativo WhatsApp.

A assessoria do MP informou ainda que além de todos os documentos que já foram pedidos à Vunesp, foram solicitadas novas informações. Pois novas notícias estão sendo consideradas e anexadas ao procedimento principal.

O Núcleo de Crimes Cibernéticos (Nucciber), que pertence ao próprio Ministério Público da Bahia e que foi acionado para ajudar na cooperação técnica das mensagens, identificando se houve ou não fraude durante o concurso, té o momento, não forneceu nenhuma informação oficial.

A Vunesp, diante do avanço da investigação, informou que não se pronunciará sobre o caso e que ” para qualquer demanda, apenas a Polícia Civil se manifestará”.

Permanecemos em busca de novidades.

Fonte: Folha Dirigida